3 de jun de 2014

Fusca de 1974 tem apenas 357 km rodados

Fusca de Orlando Watanabe é o único com atestado de 100% de originalidade no Estado de São Paulo


O único Volkswagen Fusca 1974 com atestado de 100% de originalidade está no Estado de São Paulo. Ele pertence ao comerciante Orlando Watanabe, de 66 anos, que vive em Barueri, região metropolitana da capital. Além disso, este “besouro” também é candidato a outro título: o de carro menos rodado do País. Seu hodômetro marca apenas 357 quilômetros.


O carro foi comprado por Watanabe há 15 anos, após o comerciante ter visto um anúncio em uma seção de classificados. O ex-proprietário estava liquidando vários modelos dos anos 70, todos zero-km. “Comprei o Fusca por R$ 13 mil, no comecinho do plano Real”, lembra seu atual dono. O valor está impresso em uma nota fiscal feita com máquina de escrever.


Ao lado de um jardim impecável, situado em sua residência e semelhante a um templo japonês, Watanabe mantém este Fusca como se fosse uma extensão arquitetônica do local. O cuidado do comerciante com o “sedãzinho” é tão grande que as palhetas ficam levantadas para a borracha não rachar e a limpeza é feita diariamente. “Não coloco capa porque ela risca o carro ou esquenta a pintura no calor”, explica ele.



Como o Fusca tem as mesmas peças desde que saiu da linha de montagem, algumas delas já começaram a sofrer. Os pneus, com câmara, já estão com a borracha lateral rachando. “Comprei o jogo dos novos para colocar em alguma emergência. Mas não são radiais”, acrescenta Watanabe.

Para ir aos encontros de clássicos com o Fusca sem acumular “milhas”, o comerciante usa um guincho. Geralmente, a raridade é transportada antes e Watanabe se dirige ao local guiando um carro mais atual.

Outra mostra de que o Fusca quase não anda está nas cartelas das revisões, prontas para serem perfuradas. Nelas, constam as 10 mil km, 30 mil km e assim por diante. Tudo fica no porta-luvas em um envelope de plástico junto com as chaves reservas e o manual do carro.


Com o Volkswagen, Watanabe carrega um troféu: o de melhor carro original da edição 2013 do Encontro Paulista de Autos Antigos, realizada em Águas de Lindoia, no interior. “No meio de tantas raridades, o Fusca conseguiu se destacar”, comemora o dono do carro de cor bege Alabastro.

Mecânica. O motor 1.500 de 52 cv e 10,3 mkgf a 2.600 rpm permanece intacto e funcionando. A mangueira não tem marcas de ressecamento e, no propulsor, não há nenhuma graxa ou sujeira de óleo. “Ligo o motor todos os dias pela manhã para manter a lubrificação”, explica Watanabe. O ato de dar a partida no Fusca faz o comerciante se lembrar de sua adolescência. “Tenho este carro porque ele me remete ao passado. Naquela época só existiam no País carros como Fusca e Brasília”, conta ele.

No interior, a tapeçaria está impecável e o lugar do rádio, fechado. As lanternas e os faróis funcionam, assim como o motorzinho do sistema de limpadores do para-brisa.


Fonte: http://www.estadao.com.br/jornal-do-carro/noticias/

Nenhum comentário:

Postar um comentário